CADERNOS DE ARQUEOLOGIA DE MAFRA

CADERNOS DE ARQUEOLOGIA DE MAFRA

SKU: 16321
€20,00Preço

CADERNOS DE ARQUEOLOGIA DE MAFRA
Penedo do Lexim, Campanha 1999 [& São Julião, Núcleo C do Concheiro de Mafra].
Câmara Municipal de Mafra. Mafra. 2000 [& 2004]. 2 vols. In-4º de 76 + 151 págs. Br.


Conjunto constituído pelos primeiros dois e únicos números publicados dos Cadernos de Arquelogia de Mafra, publicação de excelente aspecto gráfico, profusamente ilustrada com várias fotografias e desenhos técnicos ao longo do texto.

Do site da Câmara Municipal de Mafra, retirámos as seguintes informações sobre esta colecção:

"A coleção "Cadernos de Arqueologia de Mafra" tem como objetivo a publicação monográfica de números dedicados a sítios arqueológicos do concelho de Mafra e/ou a uma temática específica sobre esta área. O primeiro número da coleção foi dedicado ao Penedo do Lexim, povoado pré-histórico, situado na freguesia da Igreja Nova, concelho de Mafra, sítio com um longo historial de investigação. A pesquisa arqueológica do Penedo do Lexim é centenária, recuando a 1879, aquando dos pioneiros trabalhos de Estácio da Veiga. Foi apenas em 1970 que a abertura de uma pedreira de brita veio confirmar a presença de importantes vestígios arqueológicos, com a realização de escavações de emergência sob a direção de José Morais Arnaud (1970, 1975). O património geológico, arqueológico e natural presente no Penedo do Lexim fundamentou a sua classificação como Imóvel de Interesse Público em 1975. Em 1998 a Câmara Municipal de Mafra retomou as pesquisas neste sítio arqueológico, com um projeto de investigação (1998-2004) que se integra no Plano Nacional de Trabalhos Arqueológicos. Apresentam-se os resultados das primeiras campanhas arqueológicas promovidas pelo município (1998 e 1999), com a descrição circunstanciada de metodologias, estratégias e dos resultados obtidos em dois sectores distintos: locus 1 (topo do Penedo do Lexim) e locus 3 (plataforma intermédia, vertente Este). A documentação de campo permite uma primeira reconstituição da história de ocupação do sítio (Neolítico final, Calcolítico inicial e pleno, Bronze final) e da morfologia de uso desta chaminé vulcânica.

"O segundo número da coleção “Cadernos de Arqueologia de Mafra” é dedicado ao núcleo C do concheiro de São Julião. A identificação do sítio remonta a 1985 aquando de estudo geomorfológico efetuado por Ana Ramos Pereira e E. Borges Correia. Em 1986 e 1987, sob direção de José Morais Arnaud, foram efetuadas sondagens em dois núcleos, designados por São Julião A e B. O núcleo C foi identificado em 1999 na sequência de uma situação de emergência tendo o Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal de Mafra desenvolvido escavações neste núcleo em 1999 e 2001, objeto da presente edição.Os trabalhos efetuados evidenciam que a margem norte da Ribeira do Falcão (freguesia da Carvoeira, concelho de Mafra) foi ocupada sucessivamente durante o período pós glaciar, apresentando uma sequência de ocupação desde o 8.º milénio a.C. (São Julião A) até ao 6.º milénio a.C. (São Julião C). Este local foi usado exclusivamente para o consumo de fauna malacológica consubstanciando a formação de um nível conquífero. A ocupação sazonal traduz a passagem de grupos de caçadores recolectores do Epipaleolítico/Mesolítico antigo.O estudo do núcleo C do concheiro de São Julião inclui um conjunto de colaborações transdisciplinares com o objetivo de reconstituir ambientes, cronologias, economias, tecnologia e cultura".