HASTINGS (MAX) - OS MELHORES ANOS

HASTINGS (MAX) - OS MELHORES ANOS

SKU: 16356
€12,50Preço

HASTINGS (MAX) - OS MELHORES ANOS
CHURCHILL 1940 - 45.
Civilização Editora. Porto. 2012. In-8º gr. de 743 págs. Br.


"Winston Churchill foi o maior estratega da Grã-Bretanha. Em 1940, a nação segue-o de uma forma extraordinária. Mas a partir desse momento, segundo Max Hastings, surge uma profunda divergência entre o que Churchill quer do povo e do exército britânico e aquilo que eles são capazes de fazer. Sendo ele próprio um herói, Churchill esperava que os outros se mostrassem também heróis, e desiludia-se frequentemente. Não se compreende bem a queda dramática da sua popularidade em 1942, no meio de uma sucessão de derrotas militares. Alguns dos seus colegas mais próximos juntaram-se ao coro de protestos para que abandonasse a liderança da máquina de guerra. Hastings traça uma imagem maravilhosamente vívida do primeiro-ministro face ao triunfo e à tragédia. Descreve a "segunda Dunquerque" em 1940 - quando a impulsividade de Churchill quase fez a Grã-Bretanha perder o mesmo número de tropas no Noroeste da França como as que tinham sido salvas das praias -, os seus galanteios aos Americanos, e as lutas com os Russos. E explica como a unidade britânica em tempo de guerra estava a ficar manchada pelo descontentamento dos trabalhadores, com muitas greves em minas e indústrias fundamentais.
Olhando para Churchill do ponto de vista dos soldados, dos civis e dos jornais britânicos - e também do ponto de vista dos Russos e dos Americanos -, Hastings apresenta novas perspetivas acerca da mais notável personalidade inglesa. O autor classifica de loucura a tentativa de Churchill de promover levantamentos em massa na Europa ocupada, e destaca como "inconcebível" o seu espantoso plano de criar uma ofensiva aliada contra os Russos com vista à libertação da Polónia em 1945.


Este é um retrato íntimo e afetivo de Churchill como o homem que salvou a Grã-Bretanha, mas também um exame severo à nação que ele liderou em tempo de guerra e ao desempenho das suas forças armadas."

1ª edição portuguesa, com tradução de Miguel Mata.


Volume praticamente como novo.